A ideia – Tanzânia 2017

Em Novembro de 2015, estivemos em Moshi para realizer um grande sonho: escalar o Kilimanjaro. E realizamos. Chegamos ao cume, mas o sonho parecia não ter terminado.

Trabalhamos praticamente 1 mês no orfanato como voluntários e parecíamos estar ajudando tanto àquelas crianças, mas eram elas que estavam transformando a nossa vida: nos deram combustível o suficiente para decidirmos voltar a Moshi em 2017.

Retornamos ao Brasil em 2015 com muita vontade de fazer algo a mais por aquele lugar, por aquelas pessoas que tanto nos acolheram e nos mostraram a simplicidade de ser simplesmente feliz.

Nos últimos dias da nossa primeira ida a Tanzânia conhecemos um orfanato recém construído em Mabogini, região rural da cidade Moshi. Habitado por 45 crianças orfãs, algumas soropositivas e que foram amparadas por um pastor. Crianças encantadoras, tímidas, felizes, mas com uma magia ainda mais especial no olhar, pelo menos para nós.

Por que Tanzânia? Por que em Moshi?

Talvez nunca saibamos responder essas perguntas. Talvez nem queremos saber o por que e explicar a vocês o por que. Talvez vocês devam sentir com o próprio coração! Por isso decidimos retornar em 2017 levando pessoas com a gente.

Pessoas. Voluntários. Amigos. Parceiros. Pés livres.

 

Observando nossas recordações, fotos, vídeos e o diário da primeira da viagem, começamos a refletir o que faltava naquele lugar que em meio a tanta miséria conseguia nos encantar tanto.

De que forma poderíamos deixar o orfanato ainda mais especial e acolhedor para as crianças?

Em nossas fotos o que nos chamou atenção foram as paredes recém construídas ainda em tijolos, outras começando a ser rebocadas, mas tudo muito cinza!

Por que não colocar cores ali?!

Partindo da ideia de que cor é luz e que criança é vida, decidimos colorir as paredes daquele lar.

E não paramos por aí (nunca paramos), decidimos também construir um parquinho de brinquedos (com material reciclável), afinal brincar é colorir o sorrir de cada criança.

Pronto. A equação perfeita.