Sobre nós

“Se as coisas são inatingíveis… ora! Não é motivo para não querê-las. “ (Mário Quintana)

Pés Livres

Pés que traçam seus próprios caminhos, pés que escolhem roteiros variados, pés que escrevem suas próprias histórias. Pés que têm a liberdade de mudar o rumo e simplesmente caminhar para onde os bons ventos sopram. É com essa filosofia que esperamos despertar nas pessoas, principalmente nas crianças, a certeza de que todos nós temos os pés livres e que podemos escolher as trilhas que queremos passar – e o que deixaremos durante essa caminhada. O projeto Pés Livres tem como proposta fomentar esse modo de enxergar e estar na vida, motivando seres humanos que estejam dando seus primeiros passos, e que estes não caminhem com passos vagos e restritos, mas caminhem, sim, com a liberdade que somente pés livres e descalços permitem, independentemente do ritmo que a vida impõe.

Motivação

Children

Nossa motivação inicial passa pela África. Lugar que nos encanta por diversos motivos, pela exuberância de suas paisagens, pela vida selvagem – que no nosso mais íntimo se assemelha com nossa vontade de viver – pelas tribos que ainda vivem por lá; mas também nos deixa curioso do por quê de tanta exuberância estar tão próximo do excesso de pobreza, da miséria, da fome e do descaso global.

O Monte Kilimanjaro, com seus 5895 metros, também foi um grande motivador inicial do Pés Livres. Maior montanha do continente africano, e com acesso simples – sem necessidade de equipamentos de escalada, apenas bons equipamentos de vestuário para o frio e muita determinação – o Monte Kilimanjaro, de origem vulcânica, acende nossa vontade de escalar como escaladores, ou trekkers, amadores. Foram 7 dias de caminhada, com mochila pesada nas costas e dormindo em barracas, sem sabermos ao certo se tomaremos banho todo dia, ou que tipo de comida encontraremos por lá. Desafiador, ainda mais com a chance de ter problemas com altitude. Nossa vontade era aproveitar essa montanha e dar algo em troca pra população local que em parte vive do turismo!

 

Missão

Nossa missão é fazer a diferença por onde passarmos. Na verdade, em qualquer lugar que estivermos, seja aqui no Brasil, do lado de casa, seja na África, a alguns milhares de quilômetros do nosso conforto.

Queremos levar a nossa alegria e modo de vida para outras geografias, influenciando crianças a pensarem que podem fazer coisas diferentes do que a sociedade impõe cotidianamente. Levamos alegria na nossa bagagem, seja nas costas ou em cima de nossas bicicletas.

Abraçaremos com carinho quem encontrarmos pelo caminho, nem que seja para doar um pouco de alegria. E quem fará isso são os Palhaços Cazé e Táta.

IMG_2362

O objetivo do gesto simples de um abraço é doar um pouco do afeto que existe em nós e expandir a forma como enxergamos o mundo, mostrando um pouco da nossa filosofia e de como acreditamos que cada um pode sair da inércia que vive e de como um simples afeto, vindo do coração, pode escrever uma nova história.

Quem somos nós?

LUANA PRETEROTTI, educadora física, aventureira já com algumas aventuras de moto, bicicleta e montanhismo no currículo. O cume do monte Kilimanjaro foi a estréia em alta montanha. A viagem de bike de Jundiaí/SP à Ilha Grande/RJ foi a aventura mais recente no cicloturismo. Apaixonada por montanhismo, em seus treinos para o Kilimanjaro fez uma das travessias mais clássicas do Brasil, a Travessia Marins – Itaguaré, a subida ao Maciço das Prateleiras, a a travessia Morro do Couto – Prateleiras. Idealizadora do projeto social Pés Livres e chef de cozinha do Pés Livres Cozinha.

RAFAEL EUSTACHIO, empresário, ciclista de mountain bike e estrada, apaixonado por alpinismo e montanhismo, iniciando no acquaride e disposto a testar qualquer esporte outdoor. Já tem algumas viagens de bicicleta no currículo. As mochilas nas costas e a barraca de camping acompanham desde as viagens à Ilha Grande, na adolescência. A viagem ao Chacaltaya, Bolívia surgiu como treinamento à altitude. As travessias tradicionais da Serra da Mantiqueira foram todas desbravadas por ele e ela, Marins-Itaguaré, Serra Fina, Morro do Couto-Prateleiras, Rebouças-Visconde de Mauá, Travessia Rui Braga, Serra do Japi. Vários quilômetros e dias com as mochilas cargueiras nas costas. O Kilimanjaro foi a estréia em uma alta montanha.